“Congresso deve priorizar Reforma Política”, defende Marcos Abrão

7 de agosto de 2017

Foto Marcos Abrão - Sergio Willian

O deputado federal Marcos Abrão (PPS) voltou a defender que o Congresso Nacional deve priorizar a Reforma Política em detrimento da Reforma da Previdência proposta pelo governo federal. Em entrevista à Rádio 730, nesta segunda-feira, 7, o parlamentar afirmou que, “todo o sistema político brasileiro precisa ser reformado, essa reforma é uma necessidade urgente e é essa a reforma que a sociedade quer”.

Segundo Marcos Abrão, o Congresso Nacional tem prazo até o final de setembro para fazer a Reforma Política, se tiver vontade, mesmo que seja uma reforma parcial. “É preciso mudar as regras para melhorar o sistema. Para isso, defendo que a gente defina uma regra de transição porque não podemos mudar esse jogo no meio dele. Os partidos precisam se preparar para a mudança e a democracia é assim, precisa ir mudando e se adequando de acordo com a nossa realidade”.

Marcos Abrão defende o voto distrital misto que, segundo ele, é uma forma de garantir a representatividade das minorias na proporcionalidade e no distrito. “Hoje, fazer campanha política em mais de duzentos municípios é inviável. Goiás tem 246 cidades, mas nenhum deputado federal tem representatividade em todas elas”, destaca o parlamentar que defende também o financiamento público de campanha.

“Precisamos baixar o custo das eleições. As campanhas políticas precisam se voltar às pessoas que querem fazer política por vocação e não para quem quer fazer negócio”, enfatizou o parlamentar.

Durante a entrevista, o deputado foi questionado também sobre o voto que deu pelo prosseguimento das investigações do presidente Michel Temer. Em resposta, ele afirmou que votou como mandou sua consciência. “Votei em nome da transparência, em nome de um país melhor, tendo em vista o que a sociedade espera hoje de uma pessoa que tem mandato. E deve ficar claro que votamos autorizando uma investigação. Não estamos condenando ninguém”, frisou Marcos Abrão.