Deputado ressalta importância do voto consciente em artigo no jornal O Popular

10 de janeiro de 2018

Artigo

Confira, na íntegra, o artigo de opinião do deputado Marcos Abrão, publicado no jornal O Popular, no dia 10 de janeiro:

Um novo ano se inicia renovando a nossa vontade de mudança e a esperança em dias melhores. No entanto, o descontentamento da população com a classe política segue em níveis alarmantes em 2018.

Em entrevista recente ao jornal Folha de São Paulo, Carlos Augusto Montenegro, diretor do Ibope, afirmou que esta é a eleição mais difícil de se prever desde a ditadura. Isso porque a decepção das pessoas com os partidos e agentes políticos é tão grande que torna imprevisível qualquer resultado. De acordo com pesquisa do Fórum Econômico Mundial realizada em 137 países o Brasil é o país com o menor nível de confiança nos políticos.

Tal insatisfação precisa protagonizar os nossos debates. Se a sociedade se sente sem representação, nossa democracia precisa ser aprimorada. Aqueles que foram eleitos para representar a vontade popular parecem se esquecer dos anseios dos eleitores que entregaram a eles seu voto, sua confiança, sua perspectiva de futuro. É preciso compromisso e vale ressaltar que esse compromisso tem que ser firmado pelas duas partes.

Tenho ouvido muitas pessoas se queixarem do atual momento político mas quando se questiona em quem votaram nas últimas eleições simplesmente não se lembram. Não conhecem seus representantes, não acompanham os mandatos e se esquivam das discussões sobre o tema. A escolha não foi levada com a seriedade que exige e paga-se por isso um alto preço.

Em 2018 os brasileiros terão novamente o direito de escolher. Direito esse que vem acompanhado do dever de aplicar a democracia, de avaliar o futuro que estamos construindo, de participar de escolhas que incidirão diretamente sobre nosso cotidiano. Em um momento em que as redes sociais ampliam o espaço dos debates, teremos maior exposição de proposições, argumentos e ataques. O eleitor precisará agir com lucidez para não retroceder no momento mais favorável para a busca dos avanços.

Além da imprevisibilidade que parece caracterizar o pleito, desejo que essa eleição seja caraterizada por uma decisão criteriosa daqueles que efetivamente podem mudar os rumos do país: os eleitores. Que cada proposta a nível estadual e federal seja amplamente discutida e bem avaliada. Que a população pesquise e busque conhecer em quem está depositando seu voto, a postura de cada um dos candidatos, o acesso que ela tem a quem a representa, a forma como as campanhas são conduzidas. E que os escolhidos sejam capazes de representar no início de 2019 a esperança que caracteriza esse tempo de passagem de ano.