Marcos Abrão visita canteiro de obras do Residencial Nelson Mandela, em Goiânia

29 de janeiro de 2016

IMG-20160129-WA0029

Empreendimento foi viabilizado à época em que o deputado federal era presidente da Agehab

O deputado federal Marcos Abrão (PPS-GO) realizou, nesta sexta-feira (29/1), visita técnica ao canteiro de obras do Residencial Nelson Mandela, no Conjunto Vera Cruz, em Goiânia. O empreendimento foi viabilizado graças às parcerias com o governo federal e a prefeitura da Capital goiana quando Abrão era presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab). Os investimentos na obra giram em torno de R$ 300 milhões, dos quais R$ 70 milhões são em Cheque Mais Moradia, programa do Governo de Goiás.

Juntamente com o deputado Marcos Abrão, estiveram presentes o atual presidente da Agehab, Luiz Stival, e o secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Secima), Vilmar Rocha. Eles verificaram o andamento da obra de 1.616 apartamentos de um total de cinco mil que serão construídos no local. Marcos Abrão ressalta a grandiosidade do empreendimento e a importância dele para as cinco mil famílias que terão habitação digna. “O Residencial Nelson Mandela é o maior empreendimento de interesse social de todo o estado de Goiás. Fico contente em perceber que as obras estão em um bom ritmo e que, em breve, esse local vai receber milhares de família, que pagam aluguel. Esse Residencial, sem dúvida, vai proporcionar muita felicidade para essas pessoas”, disse.

 

IMG-20160129-WA0036

 

Atualmente, 19,3% da obra do Nelson Mandela estão concluídas, com 22 blocos de apartamentos levantados, dos quais 13 em fase de acabamento. O Governo de Goiás já liberou a contrapartida do Cheque Mais Moradia da primeira etapa, mais de R$ 24 milhões. A previsão é que, em maio deste ano, quando 40% estiverem executados, a Agehab comece a realizar as inscrições das pessoas que desejam ser beneficiadas com o apartamento.

O deputado Marcos Abrão enfatiza que fez questão que o residencial fosse construído em um bairro já com estrutura e equipamentos comunitários instalados, que é o caso do Conjunto Vera Cruz. “Também tive como prioridade fazer com que o Nelson Mandela, que antes seria destinado a famílias com renda acima de três salários, fosse readequado para atender somente famílias de interesse social, ou seja, até R$ 1600. São essas as pessoas que mais precisam”, ressaltou o parlamentar.