“Preocupante”: Marcos Abrão critica cortes no Minha Casa, Minha Vida

27 de outubro de 2015

“Preocupante” Marcos Abrão critica cortes no Minha Casa, Minha Vida

Deputado federal concedeu entrevista à rádio 107 FM – A Sertaneja, de Goiânia

Diante da crise econômica pela qual passa o Brasil, a situação do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, é preocupante. A análise foi feita pelo deputado federal Marcos Abrão (PPS-GO), nesta segunda-feira (26/10), em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio 107 FM – A Sertaneja, de Goiânia. “O Minha Casa, Minha Vida deveria ser um programa de Estado, e não de governo”, sugeriu.

Os cortes no Minha Casa, Minha Vida afetam os goianos na medida em que, desde 2013, não foi feita nenhuma contratação de casa em município de menos de 50 mil habitantes em Goiás. “Nosso estado tem mais de 200 municípios com menos de 50 mil habitantes. Então, não adianta se travar o programa e se atrasar pagamentos, porque tem milhares de famílias que fizeram inscrição, que aguardam suas casas próprias e estão aí sofrendo as consequências de um governo que não tem planejamento”, criticou Marcos Abrão. O parlamentar informou que já levou essa preocupação ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab.

Marcos Abrão relativizou que Goiás tem uma situação peculiar em relação ao restante do País: “Aqui, criamos alternativas para construirmos casas com recursos diretos do FGTS”. Isso, segundo o deputado goiano, dá liberdade maior aos municípios para a construção de habitações.

“Quando estive na presidência da Agehab [Agência Goiana de Habitação], reestruturamos a política habitacional no estado, não só em construção, mas também em reforma e no aperfeiçoamento dos programas do governo federal. Alteramos também a lei estadual e aumentamos as parcerias com os prefeitos. A Prefeitura entra com o terreno, o governo estadual com o Cheque Mais Moradia e completamos com recursos do FGTS”, esclareceu.